Notícias Grupo Rotkappen - 2014

Curta nossa From Page no Facebook

 

Oktoberfest de Rolândia 2014

Nesta edição 2014 da Oktoberfest atingiu as metas desejadas, considera Margarida Hellbrugge. O público total, nos quatro dias de festa, foi estimado em 10 mil pessoas – não houve cobrança de ingresso, assim como não haverá em 2015. “Cumprimos o propósito de realizar uma festa mais familiar e germânica, com resgate cultural”, avalia a secretária. “A Oktoberfest de Rolândia voltou a ser o que era no início, e as pessoas gostaram muito.”

No total, a Oktober 2014 movimentou R$ 257.109,00 com a comercialização de chopp e pratos típicos. O balanço final aponta a venda de 17.575 copos de chopp (8.890 litros), 1.639 eisbein (prato à base de joelho de porco), 414 kassler, 395 salsichas bock, 309 chuletas, 197 frangos, 141 porções de meio marreco, 33 marrecos inteiros, 81 porções de maionese e 323 complementos (arroz, purê de maça, sala de tomate, chucrute).

“A festa se pagou”, diz a secretária Margarida Hellbrugge. “Não chegou a gerar lucro de maneira a garantir repasse para a Avocar, como gostaríamos, mas a parceria com a entidade está mantido para 2015”, ela anuncia. “Outro ponto que nos deixou bastante satisfeitos foi o fato de a Polícia Militar não ter registrado nenhuma ocorrência sequer. Nunca houve uma festa tão pacífica.”

Galerias de fotos:

Fotos da 26ª Oktoberfest de Rolândia - 4º dia (19/10).

Fotos da 26ª Oktoberfest de Rolândia - desfile (19/10).

Fotos da 26ª Oktoberfest de Rolândia - 3º dia (18/10).

Fotos da 26ª Oktoberfest de Rolândia - 2º dia (17/10).

Fotos da 26ª Oktoberfest de Rolândia - 1º dia (16/10).

Fotos da 26ª Oktoberfest de Rolândia - sangria (15/10).

 

Fonte: Prefeitura de Rolândia

26ª Oktoberfest: desfile agitou o centro de Rolândia

Sem dúvida nenhuma, o desfile é o ponto alto da Oktoberfest. Isso ficou comprovado no domingo (19), no último dia da 26ª edição da Oktoberfest de Rolândia. O desfile começou em torno das 10h30, quando dezenas de carros alegóricos  percorreram o centro da cidade, desde a Avenida Interventor Manoel Ribas, em um percurso de mais de 500 metros. Participaram do evento carros enfeitados, carros antigos e bandas regionais, em uma apresentação que costuma reunir uma multidão nas ruas de Rolândia. Confira algumas fotos da festa, tiradas por Jesu Dias e outras retiradas da página no facebook do grupo Rotkappen.

Fonte: Jornal de Rolândia

Visita do Grupo Folclórico Alemão Rotkappen - Rolândia PR

Tivemos o prazer de receber e conhecer os integrantes do Grupo Folclórico Alemão Rotkappende Rolândia - Paraná. Conhecíamos seu Coordenador, Sr. Roland Kronenberg - a partir de trocas de idéias sobre a cultura - Facebook. No início da tarde  de sábado do dia 11 de outubro, visitaram o Museu Hering, no bairro Bom Retiro. Também prestigiaram oOktoberfest Blumenau, na última sexta feira e depois da visita ao museu dirigiram se para a rua XV de Novembro para assistir o segundo desfile oficial, neste sábado a partir das 16:00h. 
Acompanhamos o grupo durante a visita ao Museu Hering e até falamos um pouco sobre aTécnica Construtiva Enxaimel.

Antes de terminar a entrevista, o espaço no cartão da máquina fotográfica terminou, mas não o suficiente para não vê-los dançar. Agradecemos a visita e estimamos que divirtam-se muito e pratiquem as tradições durante a Oktoberfest de Rolândia.

 

 

Fonte: Angelina Wittmann.

 

 

ÁREA VIP: 9ª edição do Almoço Alemão do Lions Clube de Rolândia

Um almoço com muita comida gostosa e, principalmente, solidariedade. Assim foi a 9ª edição do Almoço Alemão do Lions Clube de Rolândia que aconteceu neste domingo (28).

O evento foi realizado na chácara da Arcol e bombou: muitas pessoas foram ao local apenas buscar o almoço para levar para casa e, ainda assim, o local ficou lotado, com gente esperando para sentar.

No cardápio, preparado pelo Angellu’s Buffet, um prato único composto de Einsbein, Kässler, salsicha branca e salsicha vermelha, e um buffet livre, onde as pessoas podiam se servir à vontade e que dispunha de doce de maçã, mostarda, salada verde, maionese, arroz branco, chucrute e purê de batata. 

O Grupo Folclórico Alemão Rotkappen, este presente mostrando a tradição nas dançãs alemãs e prestigiando o evento.

Solidariedade
Toda a renda obtida no almoço será destinada para as campanhas sociais do Lions, como o banco ortopédico da entidade. É a esse banco, por exemplo, que as pessoas recorrem quando não podem comprar uma cadeira de rodas ou de banho: a entidade, quando procurada, empresta – se a pessoa precisa por um tempo determinado – e doa cadeiras de rodas ou de banho para quem necessita e não tem condições financeiras de adquiri-las.

Fonte: Jornal de Rolândia

 

Dia da Árvore e Piquenique Cultural da Acrebi foram as atrações neste domingo (21)

O Dia Mundial da Árvore, comemorada no dia 21 de setembro, aconteceu uma programação especial em Rolândia. O educador ambiental Daniel Steidle, da Fazenda Bimini, conhecido pelo trabalho desenvolvido principalmente com jovens e adolescentes que desejam conhecer mais a natureza, coordenandou o evento, que aconteceu neste domingo.

Steidle afirmou que o objetivo foi conscientizar a população sobre a importância de preservar uma árvore. “Aplicar isso no dia a dia desperta um benefício sem igual para a sociedade. Garante a sobrevivência dos seres humanos. Não temos ideia do quanto precisamos das árvores, e é por essa falta de consciência que desprezamos tanto o meio ambiente”, ressaltou.

Compareceram no evento o pessoal da Flora Londrina, um grupo especializado na produção de mudas de espécies de árvores nativas, com sede em Londrina. Além deles, tivemos a presença do LABRE da UEL, que trabalha a restauração de ecossistemas com muita eficiência.

Piquenique Cultural
O domingo em Rolândia também contou com outras atrações. Diversão e lazer é o que não faltaram na terceira edição do Piquenique Cultural, organizado pela Associação Cultural e Recreativa Banda Integração (Acrebi). O evento aconteceu durante o dia inteiro, das 9h às 17h, na Praça Castelo Branco, ao lado da Rodoviária de Rolândia.

A divulgação da iniciativa começou bem antes do esperado. O palhaço Vavá e representantes da Acrebi visitaram várias escolas do município convidando crianças e adolescentes. A proposta era que pai, mãe, filhos, avós e tios se reunissem em torno de um piquenique diferente, comentou Jorge Luiz Gomes, presidente da Acrebi.

Houve apresentações artísticas, como dança e música, além de campeonatos de pipa, espaço para as crianças jogarem bola e se divertirem sem medidas.

Foi realmente uma oportunidade e opção de lazer para toda a família, onde o Grupo Folcloríco Alemão Rotkappen este presentes neste evento, com mais atrações culturais da cidade.

Fonte: Jornal de Rolândia


   

O Grupo de Canto Heimatklänge Organizou a 1ª Heimatklänge Fest.


Onde foi servido um delicioso almoço típico, com Eisbein defumado, Eisbein normal, Kassler e Salsichas.
Todos os pratos forão acompanhados de batatas cozidas, refogado de cenouras e ervilhas e chucrute.

Além da apetitosa refeição teremos atrações culturais: o nosso grupo de canto, bandinha com música típica e dança com o Grupo Folclórico Alemão Rotkappen.

Realizado na Sede Campestre do Sindicato dos Corretores de Imóveis de Londrina (SINCIL).

Fonte: Grupo de Canto Heimatklänge


   

Baile germânico: uma volta às tradições

 

O Coro Roland Singt, de Rolândia, promoveu o seu 1º Baile Germânico na última sexta-feira , 22, na sede II do Rolândia Country Club, antigo Concórdia – o evento atraiu cerca de 160 pessoas em uma noite alegre e muito divertida.  A animação da festa ficou por conta da banda “Orchestra Grüne Stadt”,  de Maringá. Além disso, houve apresentações culturais com o próprio Coro Roland Singt e com o grupos de dança Rotkappen.


  Em 2014, o grupo Roland Singt recebeu verba  da Secretaria de Cultura, através do COMINC (Comissão Municipal de Incentivo à Cultura), e, em contrapartida, deveria realizar um evento germânico e também apresen-tações em escolas municipais ( que estão sendo realizadas uma vez por mês). “O objetivo deste baile é a divulgação e manutenção das tradições e da cultura germânica”, explicou Eliane Landal, regente do Roland Singt.

 

Fonte: Jornal de Rolândia




ROTKAPPEN DE ROLÂNDIA SE APRESENTOU EM Santa Maria de Marechal Floriano no estado do Espírito Santo

 

 

Gostaríamos de agradecer o convite do grupo Grünes Tal para a nossa participação na 3º Noite Alemã, realizada em Santa Maria de Marechal Floriano no estado do Espírito Santo. Uma noite maravilhosa resgatando as tradições e a cultura dos imigrantes alemães que colonizaram parte do município, com muita alegria, descontração, música, dança, gastronomia.
Este evento foi realizado com apoio cultural do Consulado Honorário da República Federal da Alemanha no Estado do Espírito Santo, da Prefeitura de Marechal Floriano e dos criativos meios de comunicação e eventos.
Os integrantes do Rotkappen Rolândia que puderam prestigiar o belíssimo evento, estão muito contentes por ter feito parte desta história, e podem ter certeza que estes momentos ficarão registrados na memória de cada um.
Agradecemos também a todos os integrantes dos grupos Grünes Tal e Kindertanz, ao Werner Bruske pela ótima recepção e a preocupação conosco, tanto no no decorrer do evento quanto nas visitas aos pontos turísticos. Especialmente aos nossos guias turísticos (integrantes do grupo Grünes Tal) com as belas explicações da história de cada local.
Para finalizar, também agradecemos a comunidade que nos acolheu de braços abertos. Sentimos na pele que é esta união de todos que faz toda a diferença.
Esperamos ter outras oportunidades para prestigiar este e outros eventos desta comunidade tão especial!
Muitíssimo obrigado e esperamos a todos em nossa cidade!

Fonte: Jose Carlos Farina

 

Foto de Grupo Folclórico Alemão Rotkappen.
   

3º NOITE ALEMÃ COM SUCESSO EM SANTA MARIA DE MARECHAL

Rael Sérgio.

Mantendo a tradição e o sucesso das outras edições, na noite deste sábado (16), foi realizada a 3º Noite Alemã no distrito de Santa Maria, em mais um evento de destaque para o município de Marechal Floriano, região serrana do Estado.

Cerca de 1.200 pessoas prestigiaram a grande festa que, de acordo com o Consulado Honorário da República Federal da Alemanha do Estado, está entre as melhores do Estado, envolvendo muitos, imigrantes alemães,familiares e amigos que fazem questão de participar do evento que já virou tradição na localidade.

Esta edição iniciou neste sábado (16) e finaliza hoje (17), e foi coordenada pela comunidade, e com o apoio da Prefeitura Municipal. Pela manhã foi realizado a Celebração de Ação de Graças, depois um almoço comunitário ao som de bandinhas e danças típicas. Durante a tarde deste domingo, acontecerá “Tarde Dançante com a Banda Fröhlich”, Léo Santos e Banda, e às 17 horas o encerramento.A cada ano, mais e mais pessoas participam da Noite Alemã e a aguardam ansiosamente. Fica então o convite para a próxima edição a ser realizada em 2015. Mais informações sobre os dois dias de festa será divulgado na tarde desta segunda feira (18), pela jornalista Ana Paula Mill, colaboradora do Notícia Capixaba e Assessora de Comunicação da Prefeitura do município.

 

Grupo Folclórico Alemão Rotkappen de Rolândia - PR, junto Consul Honorário da República Federal da Alemanha do Estado Espirito Santo, Prefeito da Cidade e amigo Werner Bruske (Grünes Tal).

Fonte: Notícia Capixaba

 

  

 

 

 

Festa resgata tradições dos imigrantes alemães em Marechal

Muita alegria, descontração, dança e sorrisos estampados nos rostos dos participantes da “Deutsches Fest”, a Festa Alemã, em Santa Maria de Marechal Floriano, no último final de semana. Foi um verdadeiro resgate às tradições dos imigrantes alemães que colonizaram parte do município.

A Festa Alemã foi promovida pelos grupos de dança alemã de Santa Maria de Marechal Grünes Tal e Kindertanz. O objetivo é conseguir recursos para manter todas as atividades e compromissos durante o ano.

A Deutsches Fest foi considerada um sucesso pelos organizadores. A cada ano, aumenta o número de pessoas interessadas em participar do evento. No sábado (16), foi realizada a noite alemã, com jantar típico, apresentações de grupos de dança convidados e shows. Mas só pode desfrutar de tudo isso quem comprou convite, que se esgotaram cerca de uma semana antes da festa.

No local do evento também foram vendidas lembrancinhas com temas da Alemanha. Para as meninas foram confeccionados dezenas de arcos com flores. Já os meninos puderam comprar o famoso chapéu alemão. As tradicionais canecas de chope foram o item mais procurado e logo se acabaram.

A noite começou com a acolhida aos grupos e convidados, por volta das 17 horas. Às 19 horas, foi servido o jantar, que tinha quatro pratos típicos diferentes. Tudo isso ao som da banda Pommerweg.  Depois, quem subiu ao palco e deu um verdadeiro show foi Daniela da Concertina, de Melgaço.

Após a belíssima apresentação de Daniela, houve a abertura oficial da Festa Alemã. Compareceram ao palco o Cônsul Honorário da República Federal da Alemanha no Estado do Espírito Santo, Joern Duus, a secretária de Estado de Turismo, Diomedes Caliman Berger, o prefeito Lidiney Gobbi, o vice-prefeito José Onofre Pereira, o presidente da Câmara de Marechal Floriano, João Cabral, o vereador Dodô, além dos secretários municipais Marília Trarbach, Osvaldo Kiefer, Luis Magno e Aparecida Trarbach.
 

O cônsul da Alemanha ressaltou a importância de um evento como esse. “É fantástica a valorização da cultura, das pessoas que moram aqui e se lembram de um país tão distante. Já é a terceira vez que venho aqui prestigiar essa comunidade que eu acho tão linda”, frisou Joern Duus.

O prefeito Lidiney Gobbi  ressaltou que o município sempre dá apoio a festas como essa. “A prefeitura dá total apoio a esse evento porque investe e acredita na cultura e nas tradições dos colonizadores do nosso município. Não só a tradição alemã, mas também toda a parte cultural presente em Marechal Floriano”.
 
O ponto alto da noite foram as apresentações dos grupos de dança. Os primeiros a se apresentarem foram os veteranos do Grünes Tal. O grupo, que festeja 20 anos, já teve várias formações. E os primeiros integrantes estavam entre os que se apresentaram no sábado. Em seguida, foi a vez do Kindertanz mostrar toda a doçura das danças infantis para o público.

Depois, o grupo Frau Karolin, de Itarana, mostrou danças tradicionais, com um figurino diferente, do Sul da Alemanha, que chamou a atenção de todos. Por causa das roupas, muita gente quis fazer fotos com os integrantes do grupo.

Da cidade de Rolândia, no Paraná, vieram os integrantes do grupo Rotkappen, que esbanjaram simpatia durante a apresentação. Logo após, o Blumen der Erde, de Soído, fez a sua graciosa apresentação. Depois, entrou em cena o primeiro grupo folclórico do Estado, o Bergfreud, de Campinho.

Para encerrar a as apresentações, o mais aguardado grupo e anfitrião da Deutsches Fest, o Grües Tal, arrancou aplausos calorosos do público. O Grünes Tal foi o único grupo de dança alemã do Estado convidado a se apresentar na Oktoberfest, em Blumenau (SC). Os integrantes viajam no dia 09 de outubro e retornam a Marechal Floriano quatro dias depois, no dia 13.

O baile típico, que fechou a noite de sábado, ficou por conta do grupo “Os Tradicionais Pomeranos”.  Já no domingo (17), houve missa de Ação de Graças. Em seguida, foi servido o almoço comunitário, ao som do Grupo Cultural Martinense. Depois, aconteceram várias danças de integração entre os grupos e o público. A tarde dançante foi animada pela Banda Fröhlich. Para encerrar a Festa Alemã, Léo Santos e Banda.

O coordenador dos grupos de dança Werner Bruscke agradeceu a todos que estiveram presentes e que trabalharam na realização da Festa Alemã. “Quero agradecer a cada um que esteve aqui, colaborando com a gente, de uma maneira ou de outra. Deixo aqui o meu muito obrigado a todos.”

A Festa Alemã é uma realização dos grupos de dança Grünes Tal e Kindertanz. O evento tem o apoio cultural do Consulado Honorário da República Federal da Alemanha no Estado do Espírito Santo, da Prefeitura de Marechal Floriano e da Criativos Comunicação e Eventos.
 

Fonte: AssCom/PMMF

 

   

CENTENAS DE PESSOAS PARTICIPARAM DA FESTA ALEMÃ EM SANTA MARIA DE MARECHAL

Ana Paula Mill.

Muita gente se vestiu nas cores vermelho, amarelo e preto, para homenagear a Alemanha, na Deutsches Fest.

Muita alegria, descontração, dança e sorrisos estampados nos rostos das pessoas que participaram da Deutsches Fest, A Festa Alemã, em Santa Maria de Marechal Floriano, no último final de semana. Foi um verdadeiro resgate às tradições dos imigrantes alemães que colonizaram parte do município.A Festa Alemã foi promovida pelos grupos de dança alemã de Santa Maria de Marechal Grünes Tal e Kindertanz. O objetivo é conseguir recursos para manter todas as atividades e compromissos durante o ano.

A Deutsches Fest foi considerada um sucesso pelos organizadores. A cada ano, aumenta o número de pessoas interessadas em participar do evento. No sábado (16), foi realizada a noite alemã, com jantar típico, apresentações de grupos de dança convidados e shows. Mas só pode desfrutar de tudo isso quem comprou convite, que se esgotaram cerca de uma semana antes da festa.

No local do evento também foram vendidas lembrancinhas com temas da Alemanha. Para as meninas foram confeccionados dezenas de arcos com flores. Já os meninos puderam comprar o famoso chapéu alemão. As tradicionais canecas de chope foram o item mais procurado e logo se acabaram.

A noite começou com a acolhida aos grupos e convidados, por volta das 17 horas. Às 19 horas, foi servido o jantar, que tinha quatro pratos típicos diferentes. Tudo isso ao som da banda Pommerweg. Depois, quem subiu ao palco e deu um verdadeiro show foi Daniela da Concertina, de Melgaço.

Após a belíssima apresentação de Daniela, houve a abertura oficial da Festa Alemã. No palco, o cônsul Honorário da República Federal da Alemanha no Estado do Espírito Santo, Joern Duus, a secretária de Estado de Turismo, Diomedes Caliman Berger, o prefeito Lidiney Gobbi, o vice-prefeito José Onofre Pereira, o presidente da Câmara de Marechal Floriano, João Cabral, o vereador Dodô, além dos secretários municipais Marília Trarbach, Osvaldo Kiefer, Luis Magno e Aparecida Trarbach.

O cônsul da Alemanha ressaltou a importância de um evento como esse. “É fantástica a valorização da cultura, das pessoas que moram aqui e se lembram de um país tão distante. Já é a terceira vez que venho aqui prestigiar essa comunidade que eu acho tão linda”, frisou Joern Duus.

O prefeito Lidiney Gobbi ressaltou que o município sempre dá apoio a festas como essa. “A prefeitura dá total apoio a esse evento porque investe e acredita na cultura e nas tradições dos colonizadores do nosso município. Não só a tradição alemã, mas também toda a parte cultural presente em Marechal Floriano”.

O ponto alto da noite foram as apresentações dos grupos de dança. Os primeiros a se apresentarem foram os veteranos do Grünes Tal. O grupo, que festeja 20 anos, já teve várias formações. E os primeiros integrantes estavam entre os que se apresentaram no sábado. Em seguida, foi a vez do Kindertanz mostrar toda a doçura das danças infantis para o público.

Depois, o grupo Frau Karolin, de Itarana, mostrou danças tradicionais, com um figurino diferente, do Sul da Alemanha, que chamou a atenção de todos. Por causa das roupas, muita gente quis fazer fotos com os integrantes do grupo.

Da cidade de Rolândia, no Paraná, vieram os integrantes do grupo Rotkappen, que esbajaram simpatia durante a apresentação. Logo após, o Blumen der Erde, de Soído, fez a sua graciosa apresentação. Depois, entrou em cena o primeiro grupo folclórico do Estado, o Bergfreud, de Campinho.

Para encerrar a as apresentações, o mais aguardado grupo e anfitrião da Deutsches Fest, o Grües Tal, que arrancou aplausos calorosos do público. O Grünes Tal foi o único grupo de dança alemã do Estado convidado a se apresentar na Oktoberfest, em Blumenau (SC). Os integrantes viajam no dia 09 de outubro e retornam a Marechal Floriano quatro dias depois, no dia 13.

O baile típico, que fechou a noite de sábado, ficou por conta do grupo “Os Tradicionais Pomeranos”. Já no domingo (17), houve missa de Ação de Graças. Em seguida, foi servido o almoço comunitário, ao som do Grupo Cultural Martinense. Depois, aconteceram várias danças de integração entre os grupos e o público. A tarde dançante foi animada pela Banda Fröhlich. Para encerrar a Festa Alemã, Léo Santos e Banda.

O coordenador dos grupos de dança Werner Bruscke agradeceu a todos que estiveram presentes e que trabalharam na realização da Festa Alemã. “Quero agradecer a cada um que esteve aqui, colaborando com a gente, de uma maneira ou de outra. Deixo aqui o meu muito obrigado a todos.”

A Festa Alemã é uma realização dos grupos de dança Grünes Tal e Kindertanz. O evento tem o apoio cultural do Consulado Honorário da República Federal da Alemanha no Estado do Espírito Santo, da Prefeitura de Marechal Floriano e da Criativos Comunicação e Eventos.

Quem compareceu, gostou e aprovou a festa. Agora, só resta esperar pelo ano que vem, que promete ser ainda melhor.

 

Fonte: Prefeitura Municipal de Marechal Floriano/ES

Danças

Grupos Folclóricos Alemão Rotkappen e Grünes Tal

Fotos por por Ana Paula Mill.

   

 

Fotos dos Grupos Folclóricos Alemão Rotkappen e Grünes Tal e Kindertanz

 

 

3º NOITE ALEMÃ COM SUCESSO EM SANTA MARIA DE MARECHAL.

Muita alegria, descontração, dança e sorrisos estampados nos rostos das pessoas que participaram da Deutsches Fest, A Festa Alemã, em Santa Maria de Marechal Floriano, no último final de semana. Foi um verdadeiro resgate às tradições dos imigrantes alemães que colonizaram parte do município.

A Festa Alemã foi promovida pelos grupos de dança alemã de Santa Maria de Marechal  Grünes Tal e Kindertanz . O objetivo é conseguir recursos para manter todas as atividades e compromissos durante o ano.

A Deutsches Fest foi considerada um sucesso pelos organizadores. A cada ano, aumenta o número de pessoas interessadas em participar do evento. No sábado (16), foi realizada a noite alemã, com jantar típico, apresentações de grupos de dança convidados e shows.  Mas só pode desfrutar de tudo isso quem comprou convite, que se esgotaram cerca de uma semana antes da festa.

No local do evento também foram vendidas lembrancinhas com temas da Alemanha. Para as meninas foram confeccionados dezenas de arcos com flores. Já os meninos puderam comprar o famoso chapéu alemão. As tradicionais canecas de chope foram o item mais procurado e logo se acabaram.

A noite começou com a acolhida aos grupos e convidados, por volta das 17 horas. Às 19 horas, foi servido o jantar, que tinha quatro pratos típicos diferentes. Tudo isso ao som da banda Pommerweg.  Depois, quem subiu ao palco e deu um verdadeiro show foi Daniela da Concertina, de Melgaço.

Após a belíssima apresentação de Daniela, houve a abertura oficial da Festa Alemã. No palco, o cônsul Honorário da República Federal da Alemanha no Estado do Espírito Santo, Joern Duus, a secretária de Estado de Turismo, Diomedes Caliman Berger, o prefeito Lidiney Gobbi, o vice-prefeito José Onofre Pereira, o presidente da Câmara de Marechal Floriano, João Cabral, o vereador Dodô, além dos secretários municipais Marília Trarbach, Osvaldo Kiefer, Luis Magno e Aparecida Trarbach.

O cônsul da Alemanha ressaltou a importância de um evento como esse. “É fantástica a valorização da cultura, das pessoas que moram aqui e se lembram de um país tão distante. Já é a terceira vez que venho aqui prestigiar essa comunidade que eu acho tão linda”, frisou Joern Duus.

O prefeito Lidiney Gobbi  ressaltou que o município sempre dá apoio a festas como essa. “A prefeitura dá total apoio a esse evento porque investe e acredita na cultura e nas tradições dos colonizadores do nosso município. Não só a tradição alemã, mas também toda a parte cultural presente em Marechal Floriano”.

O ponto alto da noite foram as apresentações dos grupos de dança. Os primeiros a se apresentarem foram os veteranos do Grünes Tal. O grupo, que festeja 20 anos, já teve várias formações. E os primeiros integrantes estavam entre os que se apresentaram no sábado. Em seguida, foi a vez do Kindertanz mostrar toda a doçura das danças infantis para o público.

Depois, o grupo Frau Karolin, de Itarana, mostrou danças tradicionais, com um figurino diferente, do Sul da Alemanha, que chamou a atenção de todos. Por causa das roupas, muita gente quis fazer fotos com os integrantes do grupo.

Da cidade de Rolândia, no Paraná, vieram os integrantes do grupo Rotkappen, que esbajaram simpatia durante a apresentação. Logo após, o Blumen der Erde, de Soído, fez a sua graciosa apresentação. Depois, entrou em cena o primeiro grupo folclórico do Estado, o Bergfreud, de Campinho.

Para encerrar a as apresentações, o mais aguardado grupo e anfitrião da Deutsches Fest, o Grües Tal, que arrancou aplausos calorosos do público. O Grünes Tal foi o único grupo de dança alemã do Estado convidado a se apresentar na Oktoberfest, em Blumenau (SC). Os integrantes viajam no dia 09 de outubro e retornam a Marechal Floriano quatro dias depois, no dia 13. 

 O baile típico, que fechou a noite de sábado, ficou por conta do grupo “Os Tradicionais Pomeranos”.  Já no domingo (17), houve missa de Ação de Graças. Em seguida, foi servido o almoço comunitário, ao som do Grupo Cultural Martinense.  Depois, aconteceram várias danças de integração entre os grupos e o público. A tarde dançante foi animada pela Banda Fröhlich. Para encerrar a Festa Alemã, Léo Santos e Banda.

O coordenador dos grupos de dança Werner Bruscke agradeceu a todos que estiveram presentes e que trabalharam na realização da Festa Alemã.  “Quero agradecer a cada um que esteve aqui, colaborando com a gente, de uma maneira ou de outra. Deixo aqui o meu muito obrigado a todos.”

  A Festa Alemã é uma realização dos grupos de dança Grünes Tal e Kindertanz. O evento tem o apoio cultural do Consulado Honorário da República Federal da Alemanha no Estado do Espírito Santo, da Prefeitura de Marechal Floriano e da Criativos Comunicação e Eventos.  

Quem compareceu, gostou e aprovou a festa. Agora, só resta esperar pelo ano que vem, que promete ser ainda melhor.

Fonte: Prefeitura Municipal de Marechal Floriano/ES

 

 

Festa Alemã agita Marechal Floriano no final de semana

município de Marechal Floriano tem a expectativa de atrair aproximadamente três mil pessoas nosábado (16) e no domingo (17), quando será realizado A “Deutsches Fest” – Festa AlemãNesteano, o nome da festa foi modificado para “Deutsches Fest” em comemoração aos 20 anos doGrupo de dança alemã “Grünes Tal”. 

Ao longo da programação da festa, turistas e visitantes poderão conferir os pratos tradicionais dacultura alemã, além de muito chope, música e dança típica alemã para agitar o final de semana.

No sábado (16) será realizado a 3ª Noite Alemã e a entrada é permitida somente com convite individual que custa R$ 40,00. Os grupos e convidados serão recepcionados a partir das 17 horas.

Grupo Folclórico Alemão Rotkappen de Rolândia - PR foi um dos grupos convidados e veio prestigiar o evento, com muita danças, animação e muita alegria, revendo os amigos.

Logo após as apresentações, às 19 horas, será servido o jantar típico alemão. A apresentação dos grupos folclóricos vai ser às 20h e quem encerra a noite de sábado é o grupo “Os Tradicionais Pomeranos”, com um baile que começa a partir das 22 horas.

Já no domingo (17) a entrada é franca. Logo pela manhã, às 10 horas, haverá celebração em Ação de Graças e logo depois, às 11 horas, será servido o almoço comunitário com música ao vivo de bandinhas e danças típicas. Após o almoço, a partir das 13 horas, a tarde fica agitada com a Banda Fröhlich e a festa continua com o Léo Santos e Banda no palco. O encerramento da Festa está previsto para as 17 horas.
Sobre a Festa
 
Os idealizadores do evento foram os grupos de dança Grünes Tal – que completa 20 anos – e Kindertanz. A festa tem o apoio cultural do Consulado Honorário da República Federal da Alemanha no estado do Espírito Santo, da Prefeitura de Marechal Floriano e da Criativos Comunicação e Eventos. 
O Grupo de Danças Alemãs “Grünes Tal” foi criado em 1994, e tinham como objetivo resgatar, preservar e difundir a cultura alemã, mantendo-se em atividade até os dias atuais. Ao todo, 40 pessoas participam do grupo, com idades entre 15 e 25 anos, e realizam apresentações nos principais eventos municipais, estaduais e até nacionais. 
 
Já o Grupo “Kindertanz” é um grupo Infantil de Danças Alemãs e foi criado há três anos com o intuito principal de despertar nas crianças o gosto pela cultura, eternizando, dessa forma, as tradições de seus ancestrais. Atualmente há 40 crianças, que assim como o Grupo “Grünes Tal” têm feito apresentações de níveis municipais e estaduais, todas devidamente trajadas e com um grande repertório de danças folclóricas. 
 
Região de Santa Maria 
 
A região de Santa Maria, Marechal Floriano-ES, foi colonizada por imigrantes Alemães no ano de 1879, vindas da cidade de Sulzheim, no Hessen. Tradições trazidas pelos imigrantes são conservadas até os dias atuais, como a língua, a música, a culinária, as danças folclóricas e as festas típicas. 
Desde 2012, a comunidade promove a “Noite Alemã”, um evento em que são servidos pratos típicos da culinária Alemã, e visam reunir todas as atividades culturais com apresentações de Grupos Folclóricos locais e convidados, além de um baile típico com bandinhas alemãs. 
 
Programação
Sábado (16) – ENTRADA SOMENTE COM CONVITE
17h – Recepção aos Grupos e Convidados
19h – Início do jantar típico alemão
20h – Apresentações folclóricas
22h – Baile típico com “Os Tradicionais Pomeranos”
 
Domingo (17) – Entrada Franca
10h – Celebração de Ação de Graças
11h – Almoço comunitário ao som de bandinhas e danças típicas
13h – Tarde dançante com a Banda Fröhlich
15h - Léo Santos e banda
17h – Encerramento.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Setur

Fonte: Jornal ES Hoje

 

Torcida alemã faz a festa em Rolândia

 

Rolândia - Eisbein, salsichão, chucrute e muita cerveja. A festa alemã em Rolândia foi regada aos pratos tradicionais da pátria mãe, roupas e danças típicas e terminou com muita emoção pela conquista da Alemanha pelo título da Copa do Mundo do Brasil. A vitória no final da prorrogação por 1 a 0 sobre a Argentina de Messi levou às lágrimas os descendentes de alemães do Grupo Folclórico Rotkappen, que se reuniram para torcer pela seleção alemã.

Empolgados pela goleada histórica de 7 a 1 sobre o Brasil, aplicada na semifinal, os rolandenses estavam extremamente otimistas quanto à decisão. Tanto que acordaram bem cedo para iniciar a produção da cerveja artesanal deles. Afinal, era preciso repor o estoque, já que o atual, havia sido reservado para a comemoração de ontem.

Nascido na pequena Eschwbiller, localizada perto de Colônia, na Alemanha, Roland Kronenberg vive no Brasil desde os 5 anos de idade. Era o único alemão nato do grupo presente na festa e já previa um jogo apertado. "Vai ser 2 a 1 ou no máximo 3 a 1 para ter emoção. Se for muito fácil, não tem graça.", afirmou.

A animação e a festa, no entanto, deu lugar à apreensão após o, início da partida. A Alemanha começou dominando a posse de bola, como era esperado, mas a Argentina levava mais perigo. Quando Higuaín saiu na cara de Neuer e chutou para fora, o susto foi geral. Minutos depois, o mesmo argentino marcou, o silêncio de descrédito predominou por segundos, até que veio a imagem de que ele estava impedido e o gol não havia valido. Explosão como a de um gol alemão.

A bola cabeceada por Howedes na trave de Romero tirou todo mundo da cadeira, mas não entrou e a tensão permaneceu.

Veio o intervalo e a hora de recarregar o estômago e aliviar a tensão. Para isso, mais comidas típicas, três apresentações de dança e o chope de metro.

No segundo tempo, a apreensão só aumentava, assim como os protestos contra as faltas cometidas pelos argentinos. E o jogo foi para a prorrogação, que começou quente, com uma grande chance para Schurrle, que foi defendida por Romero. O jogo já se encaminhava para os pênaltis, até que Götze recebeu na área, dominou no peito e bateu de primeira, um golaço, o do tetracampeonato mundial. A festa alemã explodiu, mas a apreensão não foi embora. Ainda faltavam sete minutos de jogo. A Argentina tinha uma falta para Messi cobrar no último lance do jogo. Nervosismo, mãos juntas pedindo ao papa alemão Beto XVI, que agisse mais rápido que seu sucessor argentino, Francisco, e mandasse a bola do craque para longe e foi o que aconteceu. Alemanha campeã.

"É um sentimento de alívio, uma conquista muito grande e muito sofrida. Estou muito emocionado e quase tive um ataque cardíaco", disse Roland. "Em 86 perdemos para a Argentina. Em 90 nos vingamos e agora nos perpetuamos", completou.

Genro de alemães, Alexandre Alves definiu bem a conquista alemã. "Acho que foi uma justiça. Foi mostrado que não foi uma estrela, um showman, que ganhou a Copa. Foi uma equipe, em que todo um trabalho foi feito pelo resultado e ele veio. A Alemanha está de alma lavada. Vamos comemorar muito. A noite será pequena", vibrou.

 

Fonte: Blog do Farina

 

Torcida comemora o gol de Götze, aos 7 minutos do segundo tempo da prorrogação

Festa alemã em Rolândia

Brasileiros, alemães e descendentes e reuniram na sede de Grupo Folclórico Rotkappen para torcer juntos na final contra a Argentina

A festa alemã em Rolândia começou cedo. Às 6h de ontem, muitos deles já estavam reunidos na fabricação da cerveja artesanal, a mesma receita que mais tarde regaria a ansiedade e a comemoração da vitória sobre a Argentina. Depois de 112 minutos de sofrimento, o Grupo Folclórico Rotkappen pode finalmente soltar o grito de tetracampeão.

Parte da colônia alemã da mais germânica das cidades do Norte do Paraná preferiu se preservar na final. “Os idosos não quiseram a mesma badalação do jogo anterior. Então reunimos um grupo menor”. Cerca de 20 pessoas, brasileiros, alemães e descendentes, compareceram à sede do Rotkappen para torcer juntos.

Talvez inspirados na “lavada” da seleção alemã sobre a seleção brasileira na semifinal da Copa, os palpites dos descendentes germânicos antes da partida contra a Argentina eram bastante otimistas. “Quatro a um”, opinou a pequena Bárbara Alves Gair, 7 anos, que na véspera da partida contra o Brasil havia sugerido um improvável 7 a 0 para os visitantes.

O otimismo também estava no palpite do pai de Bárbara, Alexandre Alves, que mesmo depois de um primeiro tempo sem gols, acreditava num 3 a 0 para a Alemanha. “Dois do Müller e um do Lahm.” Nem mesmo o clima tenso do jogo diminuiu a esperança e a alegria do grupo. No intervalo do tempo regulamentar, danças, músicas e comidas típicas mantiveram o clima animado.

“Estamos juntos aqui e isso já é motivo para comemorarmos. Se estivéssemos na Alemanha, o simples fato de ter sol já seria motivo para comemorar”, justificou Alexandre Alves, que é coordenador do Rotkappen e presidente do Conselho de Cultura de Rolândia.

Mas no primeiro tempo da prorrogação, a alegria e o otimismo do grupo parecia se esfacelar diante da possibilidade da decisão ser levada à disputa por pênaltis. Os gritos de guerra entoados em alemão deixaram de ser ouvidos e o nervosismo tomou conta daqueles rostos até então sorridentes.

Na torcida argentina que se reuniu em Londrina a tensão também deve ter existido, já que ao longo da partida as duas equipes tiveram grandes chances de marcar. Mas disso não se pode falar. O grupo se fechou e decidiu falar com a imprensa apenas depois da vitória, que não veio.

Vitória

Foram 24 anos de espera. Eles bateram na trave em 2002, chegaram perto em 2006 e em 2010. Mas com o gol de Götze, que recebeu sozinho na área, matou no peito e bateu cruzado, a Alemanha fez história no Maracanã. “Foi sofrido, mas estou aliviado com a conquista. Foi uma vitória emocionante”, afirmou o alemão Roland Kronenberg.

Apesar de ter nascido na Alemanha, Roland assistiu já no Brasil aos três confrontos do país natal com a Argentina em finais de Copa do Mundo (1986, 1990 e 2014). “Os argentinos levaram em 86 e nós levamos em 90. Agora perpetuamos a vitória em 2014.”

Fonte: Jornal de Londrina

 

Torcida alemã faz a festa

Descendentes que residem em Rolândia comemoraram o tetracampeonato com muita dança, pratos e bebidas típicas

Rolândia - Eisbein, salsichão, chucrute e muita cerveja. A festa alemã em Rolândia foi regada aos pratos tradicionais da pátria mãe, roupas e danças típicas e terminou com muita emoção pela conquista da Alemanha pelo título da Copa do Mundo do Brasil. A vitória no final da prorrogação por 1 a 0 sobre a Argentina de Messi levou às lágrimas os descendentes de alemães do Grupo Folclórico Rotkappen, que se reuniram para torcer pela seleção alemã.

Empolgados pela goleada histórica de 7 a 1 sobre o Brasil, aplicada na semifinal, os rolandenses estavam extremamente otimistas quanto à decisão. Tanto que acordaram bem cedo para iniciar a produção da cerveja artesanal deles. Afinal, era preciso repor o estoque, já que o atual, havia sido reservado para a comemoração de ontem.

Nascido na pequena Eschwbiller, localizada perto de Colônia, na Alemanha, Roland Kronenberg vive no Brasil desde os 5 anos de idade. Era o único alemão nato do grupo presente na festa e já previa um jogo apertado. "Vai ser 2 a 1 ou no máximo 3 a 1 para ter emoção. Se for muito fácil, não tem graça.", afirmou.

A animação e a festa, no entanto, deu lugar à apreensão após o, início da partida. A Alemanha começou dominando a posse de bola, como era esperado, mas a Argentina levava mais perigo. Quando Higuaín saiu na cara de Neuer e chutou para fora, o susto foi geral. Minutos depois, o mesmo argentino marcou, o silêncio de descrédito predominou por segundos, até que veio a imagem de que ele estava impedido e o gol não havia valido. Explosão como a de um gol alemão.

A bola cabeceada por Howedes na trave de Romero tirou todo mundo da cadeira, mas não entrou e a tensão permaneceu.

Veio o intervalo e a hora de recarregar o estômago e aliviar a tensão. Para isso, mais comidas típicas, três apresentações de dança e o chope de metro.

No segundo tempo, a apreensão só aumentava, assim como os protestos contra as faltas cometidas pelos argentinos. E o jogo foi para a prorrogação, que começou quente, com uma grande chance para Schurrle, que foi defendida por Romero. O jogo já se encaminhava para os pênaltis, até que Götze recebeu na área, dominou no peito e bateu de primeira, um golaço, o do tetracampeonato mundial. A festa alemã explodiu, mas a apreensão não foi embora. Ainda faltavam sete minutos de jogo. A Argentina tinha uma falta para Messi cobrar no último lance do jogo. Nervosismo, mãos juntas pedindo ao papa alemão Beto XVI, que agisse mais rápido que seu sucessor argentino, Francisco, e mandasse a bola do craque para longe e foi o que aconteceu. Alemanha campeã.

"É um sentimento de alívio, uma conquista muito grande e muito sofrida. Estou muito emocionado e quase tive um ataque cardíaco", disse Roland. "Em 86 perdemos para a Argentina. Em 90 nos vingamos e agora nos perpetuamos", completou.

Genro de alemães, Alexandre Alves definiu bem a conquista alemã. "Acho que foi uma justiça. Foi mostrado que não foi uma estrela, um showman, que ganhou a Copa. Foi uma equipe, em que todo um trabalho foi feito pelo resultado e ele veio. A Alemanha está de alma lavada. Vamos comemorar muito. A noite será pequena", vibrou.

 

Empolgados pela goleada histórica de 7 a 1 sobre o Brasil, aplicada na semifinal, os rolandenses estavam extremamente otimistas quanto à decisão
"Acho que foi uma justiça. Foi mostrado que não foi uma estrela, um showman, que ganhou a Copa. Foi uma equipe", frisa Alexandre Alves

 

Fonte: Jornal de Londrina

 

 

Grupo Rotkappen, de Rolândia, comemora vitória alemã na Copa e atrai imprensa da região

O Grupo folclórico Rotkappen, de Rolândia, se reuniu em sua sede para assistir à final da Copa do Mundo 2014, entre Alemanha e Argentina, na tarde deste domingo (13) e atraiu a imprensa de toda a região - inclusive o Jornal de Rolândia. Redes de TV e jornais se acotovelaram para acompanhar os descendentes germânicos durante a partida e registraram o sofrimento e, no final, a comemoraçao da vitória alemã - no segundo tempo da prorrogação - por 1 a 0, gol de Goetze, que havia entrado durante a partida.

  Alexandre Alves, o anfitrião e presidente do Rotkappen, falou da alegria de ver a Alemanha campeã, depois que o Brasil saiu da disputa. Roland Kronenberger, 38 anos, nascido na Alemanha, mas criado em Rolândia, foi outro que sofreu muito durante o jogo. "Poderia ter sido por mais gol, mas o importante é sermos tetracampeões", comemorou, depois do apito final. Bolos, kukas, salsichas e, claro, cerveja não faltaram durante o encontro do grupo. No intervalo do primeiro para o segundo tempo, o grupo aproveitou para aoresentar algumas danças típicas.

 

Fonte: Jornal de Rolândia

Alemães em Rolândia se dividem na hora de torcer

Fundada por alemães Rolândia tem uma grande colônia germânica com filhos e netos de alemães

A torcida na última terça (08) dividiu corações e um grupo de descendentes, e até nascidos na Alemanha se reuniu no Bremen Center (Presidente Vargas esquina com Estilac Leal).

Angela Gair Alvez, tem os pais e irmã morando na Alemanha e comemora a goleada contra o Brasil. “Estava torcendo pela Alemanha”, relata. Já seu marido Alexandre Alves conta que torcia para o Brasil porém depois do quinto gol trocou a camiseta do Brasil pela germânica. O casal faz parte do grupo folclórico alemão Rotkappen e comora o fato de domingo ter festa novamente.

Pequeno torcedor brasileiro não escondeu decepção com a dolorosa derrota

 

Fonte: Mancheto do Povo

Pequeno torcedor brasileiro não escondeu decepção com a dolorosa derrota

 

Jogo Alemanha X Brasil

Cidade norte paranaense conta com uma das maiores colônias do algoz brasileiro no Paraná
No dia em que o futebol brasileiro passou a maior vergonha de sua história, Rolândia esteve em festa. A cidade meio brasileira, meio alemã viu parte de sua população festejar a ida do time da terra natal à final da Copa do Mundo. Domingo, tem festa novamente na cidade para a decisão do campeão do Mundial do Brasil.

O encontro na centro de Intercâmbio Cultural Brasil-Alemanha aonde reuniu brasileiros, filhos de alemães e também alemães. Muitos divididos entre as duas seleções. A microempresária Heidron Kronenberg Friede era uma delas. Com a camisa do Brasil, ela tentava torcer pela seleção, mas tinha dois rivais dentro de casa: o marido Hans Friede, nascido em Hannover, e a mãe, Relinde Kronenberg, que nasceu no Brasil, mas morou por 40 anos na Alemanha. "Eu estou dividida. Quero que o Brasil vença para não aguentar os dois, mas fico meio assim pela forma como foi conduzida a Copa, voltada para o pão e circo. Mas na hora do calor a gente esquece isso", disse, antes da partida.

Não deu nem tempo dela torcer para o Brasil. Os gols alemães foram saindo e a festa seria do marido e da mãe. Dona Relinde comemorou a vitória alemã, mas não ficou tão contente assim. "Eu estava torcendo para a Alemanha, mas não gostei do resultado, não. Eu acho que uns 2 a 1 ou 1 a 0 estaria bom. O Brasil lutou, deu o sangue e mereceu um resultado melhor", lamentou.

Já o presidente do Conselho Municipal de Cultura de Rolândia, Alexandre Alves, integrante do grupo Rotkappen, era um dos mais animados. Torceu pelo Brasil no início, mas terminou a partida com a camisa da Alemanha. "Estou contente pelo família. Queria muito o Brasil na final, mas a Alemanha está lá e na final vamos nos reunir de novo e festar mais uma vez", afirmou Alves, cujos sogros são alemães. Empolgado, tomou chope de metro e se divertiu com a apresentação de dança típica alemã. Domingo tem mais.

Fonte: Blog do Farina

Comunidade alemã fica surpresa com postura da seleção brasileira

Festa no Centro Cutural Brasil-Alemanha foi ofuscada pela mediocridade da seleção de Felipão. Nem os alemães acreditavam no que viam

O centro de Intercâmbio Cultural Brasil-Alemanha, em Rolândia, se preparou ontem para uma festa na cidade que foi colonizada por alemães. Um evento com grupos folclóricos, comida típica e cerveja, unindo gerações de germânicos e seus descendentes que nasceram no Brasil. No entanto, o inesperado resultado de Brasil e Alemanha de certa forma jogou água na excelente lager e weiss, produzida pelo Grupo Folclórico Alemão Rotkappen.

A torcida se dividia no Edifício Bremencenter, com predominância pelo Brasil. Os torcedores alemães vibraram a partir do primeiro gol, mas passaram ao constrangimento à medida que a Alemanha ia marcando, chegando aos 5 a 0 logo no primeiro tempo.

Gilberto Abelha/Jornal de LondrinaGilberto Abelha/Jornal de Londrina / Torcedores acompanharam o jogo em meio a muita dança e receitas típicas
Torcedores acompanharam o jogo em meio a muita dança e receitas típicas
Bárbara Alves Gair, de 7 anos, chegou para ver o jogo com duas bandeiras, uma alemã e outra brasileira. Ela é filha do brasileiro Alexandre Alves e da neta de alemães Angela Eloísa Gair, coordenadores do Rotkappen. Se Bárbara fosse adulta e jogasse em bolões teria ganhado. Na véspera, Angela disse ao JL, ao falar sobre as preferências futebolísticas dos filhos, que Bárbara cantou 7 a 0 para a Alemanha.

Segundo Alexandre, que é também presidente do Conselho de Cultura de Rolândia, quando se tornou inevitável o confronto, o que sabia com certeza é que “um pouquinho” de cada um, pelo menos , estaria na final. Ninguém esperava, entretanto, o vexame da seleção de Felipão.

Nascido e Hanôver e há 2 anos e meio no Brasil, Hans Friede era um dos torcedores mais animados, “Minha expectativa era da vitória alemã por 2 a 1. Mas o time fez um primeiro tempo fantástico”, disse o estrangeiro, que chegou a torcer para o Brasil fazer um ou dois gols, que nós chamaríamos “de honra”, mas que nas circunstâncias seriam mais gols “de desonra”. Enfim, a festa só não foi bonita porque o time brasileiro não esteve à altura nem da seleção alemã, nem da expectativa de todos que estavam no Bremencenter em Rolândia.

O histórico edifício pertence a família Bernardy, do qual faz parte o aposentado Pedro Bernardy. Filho de alemães e nascido em Rolândia, o ex-comerciante afirmou que a torcida pelo Brasil está sempre em primeiro lugar. Com a derrota verde e amarela, a torcida agora fica para a seleção alemã na final. “De qualquer maneira, vai sobrar alguma coisa com a gente na final da Copa”, disse seu Pedro, responsável pela primeira sangria nos barris da Oktoberfest.

Fonte: Jornal de Londrina

 

 

 

 

 

Jogo da semifinal divide colônia alemã

08/07/2014 00:01 Marcos Cesar Gouvea

Região de Londrina

A colônia alemã, de forte presença no norte do Paraná, torceu tranquila ate aqui na Copa do Mundo, pela Alemanha e pelo Brasil. Agora, com o embate entre os dois gigantes do futebol mundial numa das semifinais, nascidos na Alemanha e seus descendentes terão que seguir seus corações. As gerações mais novas tendem a torcer pelo Brasil, afinal são brasileiros. Mas muitos sentem o coração bater mais forte pela terra dos pais e avós, devendo engrossar a torcida germânica.

Angela Eloísa Gair é coordenadora do Grupo Folclórico Alemão Rotkappen, de Rolândia, ativo há 26 anos. Nesta Copa, o grupo tem se reunido na casa de Angela, do seu marido Alexandre Alves. No jogo de hoje, a anfitriã vai torcer pelo Nationalmannschaft. “Meu marido torce pelo Brasil, mas as crianças têm estado comigo nos jogos da Alemanha”, diz Angela, neta de bávaros.

Em Londrina, um dos locais de encontro da comunidade alemã é a Associação Cultural e Esportiva de Londrina (Arel), fundada em 1934 como Sociedade Escolar e Recreativa Alemã . Segundo um dos membros do grupo, o engenheiro elétrico Ricardo Roehrig, todos as churrasqueiras têm ficado lotadas de torcedores para acompanhar os jogos do Brasil e da Alemanha.

Hoje, a única unanimidade no local será a degustação da boa cerveja, já que alguns preferem apoiar o time dirigido por Joachim Löw. “Meu irmão Norberto torce pela Alemanha. Meu sogro também, mas 99% vai torcer pelo Brasil hoje na Arel”, diz Ricardo.

Fonte: Jornal de Londrina

 

Rolândia comemorou, sim, seus 80 anos

Grupo de moradores lembrou aniversário com dança, histórias e História

Um grupo de moradores de Rolândia não se conteve com a não-comemoração dos 80 anos do município pelo Poder Público – completados neste domingo (29) – e resolveu, por conta própria, fazer a festa de aniversário da cidade, que teve até bolo e “Parabéns pra você”. A “comemoração” começou cedo, às 7h30, na praça que fica em frente ao supermercado Juliana, durante a Feira de Domingo. Com o lema 80 ANOS! VIVA A HISTÓRIA DE ROLÂNDIA NA FEIRA, os moradores usaram a pracinha Paul Harris e mostraram muita coisa aos rolandenses que passaram por lá.

Limão e atrações

  A festa de aniversário teve distribuição de limão rosa para a população;

Apresentação do grupo de dança Rotkappen, peças históricas e antigas, bolo de aniversário – doado pelos vereadores – e o tradicional “Parabéns pra você”.


Fotos

  Muita gente foi fotografada dentro da bacia-moldura que o pessoal da Fazenda Bimini levou até a festa. “Sorria, você está na bacia” era o lema escrito no objeto, que foi o maior sucesso entre os presentes. Uma pedra do mesmo material usado para a construção da estátua do Rolândia também podia ser apreciada por quem passou por lá.

Cinema

  Apesar de todos os empecilhos, os organizadores conseguiram exibir – num telão improvisado - o 1º filme da região, filmado em 1935 por Otto Müller. A projeção do documentário arrancou lágrimas de muita gente.

Fonte: Jornal de Rolândia

 

 

Rolândia - 80 anos / 80 Jahre Stadtgründungsfest

Resolvemos, entre amigos, não deixar esta importante data passar em branco...

80 ANOS!
VIVA A HISTÓRIA DE ROLÂNDIA NA FEIRA!


A histórica e muito movimentada “feira de domingo” na Avenida Castro Alves (ao lado do antigo posto de saúde) tem... uma praçinha legal (Paul Harris) onde foi comerado, de forma criativa e alegre, os 80 anos de Rolândia...

Com Daniel Stiedle, Adrian Saegesser, Jose Carlos Farina, Grupo Folclórico Alemão Rotkappen, entre outros amigos e amigas e não esquendo da nossa poulação.

Comentários:

Daniel Steidle publicou uma foto na linha do tempo de José Carlos Farina

OLHA AÍ O LADO ALEMÃO DO FARINÃO!

Caro José Carlos Farina revendo nos seus vídeos a festa de 80 anos de Rolândia fico encantado e agradecido mais uma vez! Nas ocasiões importantes para o nosso município você se faz presente e com o seu olhar e registro, você garante a nossa história. Obrigado! Não fumo, nem bem... e pior ainda: não como carne!  Abraço, Daniel
RESPOSTA: José Carlos Farina mt obrigado Daniel pelas palavras elogiosas à minha pessoa... Deus abençoe sempre vc e sua família. Ah.. se nós tivéssemos uns 3 Daniel Steidle.... um abraço.

Fonte: Blog do Farina

 


Tradições alemãs por meio da música e da dança

80 anos da nossa Rolândia e o GFA ROTKAPPEN faz parte desta história

 

Rolândia é uma cidade colonizada e construída por imigrantes de diversas nacionalidades, mas a colônia alemã é sem dúvida a que mais se destaca e com ela vem a gastronomia, as festas e é claro, a música e a dança. Empolgante e rica, a dança alemã chama atenção pelos passos diferenciados dos homens e pela alegria dos casais. As roupas são um show à parte. Coloridas, bordadas e cheias de detalhes, elas têm significados que variam conforme a região da Alemanha que representam.

Para celebrar as tradições, foi montado em 1988 em Rolândia o grupo Rotkappen de dança Alemã, o objetivo inicial era se apresentar na primeira Oktoberfest, mas os integrantes gostaram da ideia e continuaram os ensaios e as apresentações em outras festas e eventos. De lá para cá a formação dos integrantes foi mudando e hoje, além dos 15 casais um novo grupo foi formado. "Nos reuníamos para ensaiar e levávamos as crianças. Elas ficaram animadas e quiseram montar um grupo infantil que hoje nos acompanha em algumas apresentações", comenta a coordenadora cultural do grupo, Ângela Eloisa Gair. De acordo com ela, o interesse das crianças é o grande trunfo do grupo. "Quando vemos que a tradição se perpetua nós ficamos felizes", aponta.

Os primeiros integrantes do grupo eram de origem alemã e aprenderam os passos com dançarinos que já atuavam na cidade de Maringá. Hoje a maioria dos integrantes não tem ligação genética com a Alemanha, mas nem por isso o empenho e a dedicação são menores. "Todos os anos vamos para Gramado (RS) fazer um curso de dança para aprimorar o nosso trabalho", salienta Ângela. Ela acrescenta que o curso é ministrado por professores que vêm da Alemanha com o objetivo de transmitir com fidelidade a cultura daquele país.

A coordenadora destaca que as danças e os trajes típicos são todos pesquisados. A cor das flores, os detalhes dos vestidos, tudo tem um significado dentro da cultura alemã. Nas apresentações, os trajes e a dança são explicados para o público. Um traje especial tem representadas as araucárias para simbolizar o Paraná e o café que faz referência à Rolândia. "Este acabou se tornando o traje oficial do nosso grupo", comenta Ângela.

Serviço:
Quem quiser saber mais sobre o grupo pode entrar em contato com a Ângela pelo telefone 3255-5143.

Fonte: Folha de Londrina

 


 

Luterana realiza festa da Colheita

Erntendak Fest é uma já tradicional desta realizada pela igreja Luterana de Rolândia para comemorar e dar graças pela colheita.

Este ano foi realizada no dia 25 de maio no pátio da igreja e contou
com a presença de dezenas de pessoas que apreciaram a deliciosa culinária alemã e os doces e tortas tradicionais.
Eduardo Kaus, presidente da comunidade resssata que a festa da colheita acontence desde meados de 40 e lembra
que as primeiras atas registradas são todas escritas em alemão.
Foram servidas neste evento cerca de 280 pratos de churrasco, mais de 200 eisbeins, 50 salsichoes,150 frangos e 50 marrecos pelos 80 voluntários que trabalharam na festa.
O pastor Alan Shulz afirma que o sentido espiritual da festa é agradecer a Deus por todas as dádicas.
"Todos temos as nossas colheitas, por isso devemos agradecer pelo pão nosso de cada dia", comemora.
Tivemos apresentação do grupo folclóricos alemão Rotkappen que encantou o público com suas apresentações de danças típicas.

Fonte: Manchete do Povo


 

Igreja Luterana se prepara para a Erntedankfest

A comunidade da Igreja Luterana de Rolândia já está na reta final dos preparativos de sua Erntedankfest 2014 (Festa da Colheita) – que será realizada no domingo 25 de maio. “Trata-se de uma das poucas festas familiares tradicionais e que envolve cultura, gastronomia, música, danças e tradição, tanto germânica quanto de outras etnias e culturas”, explicou Eduardo Kaus, presidente da Comunidade Evangélica Luterana de Rolândia. A Igreja Luterana de Rolândia existe praticamente desde a fundação da cidade, na década de 1930, e a festa também vem desta década.

Programação
A Erntedankfest começa com um culto ecumênico na Igreja Luterana. Depois, às 11h30, no pátio, será servido o almoço: Eisbein, Salsichão, Marreco, frango, churrasco estão entre os pratos. Haverá apresentação do Grupo Folcórico Alemão Rotkappen, além dos deliciosos bolos e tortas no período da tarde.

Lançamento oficial
A Comunidade Luterana faz o lançamento oficial da festa nesta sexta-feira (16) no salão da igreja a partir das 20 horas. A imprensa regional e as autoridades poderão assistir à apresentação do coral Celebrare e conhecer um pouco da história da Erntedankfest em Rolândia.

Fonte: Jornal de Rolândia

CONVITE

Festa de Ação de Graças pela Colheita da Igreja Luterana de Rolândia

Culto Festivo às 10h

Almoço com músicas e pratos típicos alemães além de churrasco, frango recheado assado no forno à lenha e outros pratos a partir das 12h.

Bazar, danças típicas com o Grupo Folclórico Alemão Rotkappen, apresentações culturais, café, bolos e tortas a partir das 14h

 

CONVITE

 

          A ACREBI-ASSOCIAÇÃO CULTURAL E RECREATIVA BANDA INTEGRAÇÃO,
tem a grata satisfação de convidar todos os nossos amigos e instituições de arte e cultura da nossa cidade para participar e se apresentarem no nosso 2º. PIQUENIQUE CULTURAL DE ROLÂNDIA. Que iremos realizar no próximo dia: 18 de Maio próximo(Domingo) à partir dás: 14:00hs, local: Coreto do recinto da Oktoberfest.
        Haverá uma grande divulgação deste evento através de: Jornais locais,Emissoras de rádios locais,TV local e Tvs de Londrina.
        Esperamos poder contar com a sua presença,

O GRUPO FOLCLORICO ROTKAPPEN esteve presente neste evento

 

Atenciosamente.

                                                              ACREBI-Ass. Cul. Recr. Banda Integração
                                                                                     Jorge Luiz Gomes

 

Tradição e folclore vencem o Supertanztreffen de Rolândia

Terminou, no domingo (04), o 6° Supertanztreffen, encontro de grupos folclóricos de dança, organizado pelo grupo Rotkappen, de Rolândia, em comemoração aos seus 25 anos de fundação. O evento começou no dia 01 de maio e foi realizado no Rolândia Country Club, sede Concórdia. Grupos de Santa Catarina, São Paulo e Espírito Santo participaram das competições, além do Rotkappen.

De acordo com a organização do Super, foram realizadas duas competições: uma de integração, na qual os integrantes de todos os grupos foram juntados e separados por cores de fitas nos braços; e outra de desafio folclórico entre os grupos. O desafio entre os grupos terminou com a vitória do Grünes Tal Volkstanzgruppe (comunidade Santa Maria, Marechal Floriano-ES), seguido do Tanzfreunde (do Colégio Benjamin Constant, São Paulo) e de Albertina Volkstanzgruppe (do Rio do Sul–SC).

Baile com Os Sonatas

O grupo Os Sonatas, de Santa Catarina, se apresentou na sexta-feira (02) e no sábado (03) no Rolândia Country Club, sede Concórdia. Os dois shows, elogiadíssimos, serviram para os saudosistas se lembrarem dos bons tempos da Oktoberfest. Durante a apresentação dos grupos, um dos momentos mais aplaudidos foi a dança do estilo "Platter" (batida) do Rotkappen.

Fonte: Portal de Rolândia

 

 

 

Representantes de Rolândia vêm conhecer o trabalho cultural em Ibiporã

Representantes de Rolândia estiveram nesta quarta (dia 07/05/2014) em Ibiporã para conhecer os projetos desenvolvidos na área cultural no município e o funcionamento dos órgãos ligados à Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e à Fundação Cultural. Estiveram na visita a nova secretária de Cultura e Turismo de Rolândia, Margarida Hellbrugge, o professor de teatro e gestor do Fundo Municipal de Cultura de Rolândia, Junior Romanini, e o integrante do grupo folclórico alemão Rotkappen, Alexandre Alves.

Foram recebidos pelo secretário municipal de Cultura e Turismo, Julio Dutra, que lhes falou sobre os prédios gerenciados pela pasta (Cine Teatro Pe. José Zanelli, Complexo Cultural, Museu Histórico e de Artes, Museu do Café e as Bibliotecas Pública e Cidadã ), e também as ações permanentes, eventos e o orçamento destinado à cultura em Ibiporã. “É muito bom fazermos esse intercâmbio com pessoas de outros municípios e sentir o interesse que têm por Ibiporã”, disse Dutra.

O grupo visitou a Casa de Artes e Ofícios e conversou com Henrique de Aragão. “Fiquei maravilhada de poder encontrá-lo, poder contemplar as suas obras e ter contato com um artista tão renomado”, disse Margarida Hellbrugge. Ela não economizou elogios também ao trabalho cultural desenvolvido em Ibiporã. “Vocês estão de parabéns! São ações em várias áreas e sentimos um carinho nas coisas que fazem. É um exemplo”, afirmou a secretária.

Junior Romanini informou o motivo que trouxe o grupo a Ibiporã: “Queremos nos servir de modelos, de estruturas que funcionam. E aqui vocês fazem um belo trabalho com o recurso que têm. Para nós, vocês são uma referência”, acrescentou. Romanini sugeriu como início de intercâmbio a ida de espetáculos da Escola de Ballet de Ibiporã para Rolândia. Já a secretária pensa em encomendar uma obra de Aragão para expor em um espaço público da cidade.

Fonte: Secretaria Municipal de Cultura e Turismo - Prefeitura Municipal de Ibiporã

 

 

Um desafio tipicamente alemão

Rolândia - Fundada em 1934, Rolândia (região metropolitana de Londrina) tem uma característica muito marcante da descendência alemã, mesmo que sua colonização tenha acontecido da união de várias etnias. Prova disso são as festas tradicionais e a presença de grupos folclóricos. Isso sem contar, a imagem de Roland, um herói alemão que lutava por liberdade e justiça, cravada na Praça Matriz como homenagem.

Porém, mais do que festas e homenagens, quem passou por Rolândia neste fim de semana pôde perceber o quanto os descendentes primam em preservar a cultura. Ontem de manhã, eles se reuniram na praça para uma "gincana" tipicamente alemã.

"É o sexto ano que o grupo folclórico Rotkappen realiza o Supertanztreffen. Nosso objetivo é confraternizar com grupos de outros Estados. Durante três dias, promovemos bailes e hoje, são brincadeiras com provas típicas do país", explica Karin Kronenberg, integrante do grupo, que no ano passado comemorou 25 anos de fundação em Rolândia.

Neste ano, a festa reuniu cerca de 160 pessoas, entre elas, do Espírito Santo, São Paulo e Santa Catarina e contou com o incentivo do Fundo Municipal de Cultura. Entre as principais atividades estava a Prova de Traçador, onde duas pessoas dividem uma serra e vence quem cortar o tronco em menor tempo.

"Exige mais técnica do que força", comenta Katharina Walther, que disputou a prova. Ela brinca que costuma treinar em casa nos cuidados do jardim e justifica a participação. "Os alemães gostam de festas, brincadeiras e diversão. Vale lembrar que muitos tiveram que serrar troncos para fundar esta cidade, não é?", brinca.

Outro desafio foi o Arremesso de Tora e a Dança. "Dentro de um balão, tem papéis com passos de dança. Cada um tem que criar uma pequena coreografia com aquele passo", conta Karin. A última prova eram perguntas, com questões sobre a história da Alemanha e Rolândia.

Até para aqueles que não conhecem nada da cultura alemã, a gincana é tão divertida quanto curiosa. "Estava de passagem quando vi esse monte de gente. Resolvi parar e estou adorando, apesar de achar que é bem difícil manobrar esse serrote", comenta o mecânico Gercilo Moura.

Mas engana-se quem pensa que toda essa competição tem um clima de rivalidade. Muito pelo contrário. A ideia é integrar os grupos folclóricos alemães. É lógico que quem se sair melhor, leva para casa um troféu. "É uma forma de cultivar nossa história e integrar os grupos, principalmente de jovens", conta Werner Bruske, coordenador do Grünes Tal, do Espírito Santo, que pela primeira vez veio para o Paraná com 40 componentes.

Fonte: Folha Web de Londrina

 

 

 

Apresentação em Londrina-PR, 1992. Traje: Pongau

 

Apresentação em Londrina-PR, 1992. Dança: Bandltanz (Dança das fitas)

 

25 anos de Rotkappen!

O grupo Folclórico Rotkappen está realizando entre os dias 01 a 04 de maio o 6º Supertanztreffen em comemoração de seus 25 anos de formação do grupo

O evento traz a Rolândia grupos folclóricos alemães dos Estados do Espirito Santo, Santa Catarina e São Paulo com o objetivo de integração folclórica. No dia hoje os participantes se divertiram com atividades de desafio folclóricos.

A exemplo de ontem, hoje à noite também acontece um baile no Concordia Country Club com a banda Sonatas. Segundo Alexandre Alves esta é uma forma de relembrar os tempos áureos da Oktoberfest de Rolândia.

Fonte: Jornal Manchete do Povo - Rolândia.  

 

 

Grupo Rotkappen promove encontro de danças alemãs em maio

Grupos de todo o Brasil se apresentam no Rolândia Country Club, sede Concórdia, em Rolândia

O Grupo Folclórico Alemão Rotkappen, de Rolândia, que comemorou 25 anos de fundação, promove o 6° Supertanztreffen de 1° a 4 de maio. O encontro pretende reunir adeptos das danças típicas de todo o Brasil. Já estão confirmados grupos de São Paulo, Espírito Santo e Santa Catarina.

A programação do evento, que conta com opções interessantes para o público local, está na página oficial do grupo no Facebook (facebook.com/GFARotkappen). O objetivo é despertar, ainda mais, o gosto dos rolandenses pelas coreografias típicas alemãs.

O Rotkappen é coordenado por Alexandre Alves e Ângela Eloisa Gair, e possui 30 integrantes no total, incluindo crianças. Para o público infantil, o projeto acontece na Escola Roland. “A adesão tem sido grande. Queremos incentivar os pequenos a aprenderem mais sobre a cultura alemã”, disse Alexandre.

De acordo com o coordenador, essa prática é comum em outros estados brasileiros que foram povoados por alemães. “Em Blumenau, por exemplo, as escolas possuem em suas grades curriculares o ensino das danças. É uma disciplina normal. Ainda estamos um pouco longe”, afirmou.

O encontro conta com apoio do Fundo Municipal de Cultura (FMC). “Graças ao patrocínio concedido pela Prefeitura de Rolândia conseguimos trazer a tradicional banda Sonatas, que tocou na época de ouro da Oktoberfest do município”, recordou-se Alves.

O grupo se apresenta na sede Concórdia em dois bailes gratuitos para a comunidade. Um  na sexta-feira 02 e outro no sábado 03, sempre às 20h30.

Fonte: Jornal de Rolândia

 

 

 

Tradição e folclore vencem o Supertanztreffen de Rolândia

Terminou, no domingo (04), o 6° Supertanztreffen, encontro de grupos folclóricos de dança, organizado pelo grupo Rotkappen, de Rolândia, em comemoração aos seus 25 anos de fundação.

O evento começou no dia 01 de maio e foi realizado no Rolândia Country Club, sede Concórdia. Grupos de Santa Catarina, São Paulo e Espírito Santo participaram das competições, além do Rotkappen .

  De acordo com a organização do Super, foram realizadas duas competições: uma de integração, na qual os integrantes de todos os grupos foram juntados e separados por cores de fitas nos braços; e outra de desafio folclórico entre os grupos. O desafio entre os grupos terminou com a vitória do Grünes Tal Volkstanzgruppe (comunidade Santa Maria, Marechal Floriano-ES), seguido do Tanzfreunde (do Colégio Benjamin Constant, São Paulo) e de Albertina Volkstanzgruppe (do Rio do Sul–SC).

Baile com Os Sonatas

  O grupo Os Sonatas, de Santa Catarina, se apresentou na sexta-feira (02) e no sábado (03) no Rolândia Country Club, sede Concórdia. Os dois shows, elogiadíssimos, serviram para os saudosistas se lembrarem dos bons tempos da Oktoberfest.  Durante a apresentação dos grupos, um dos momentos mais aplaudidos foi a dança do estilo "Platter" (batida) do Rotkappen.

Fonte: Jornal de Rolândia

Produtos de Rolândia estão na Feira de Sabores de Feira de Londrina


Há produtos e produtores rolandenses entre os 35 que compõem a Feira de Sabores da ExpoLondrina deste ano. Vindos de várias cidades do Paraná, os produtores estão instalados no Pavilhão Alípio Ferreira e os produtos de Rolândia estão fazendo o maior sucesso entre os visitantes da Expô 2014.

"Entre as novidades está a Praça de Alimentação, onde os visitantes poderão degustar os produtos com tranquilidade", comentou Vanderlei Recco, um dos organizadores da Feira.
Os visitantes poderão encontrar produtos variados na Feira de Sabores, entre eles embutidos, queijos costenaro, conservas, compotas, geleias caseiras, patês, vinhos e licores, pimentas, biscoitos, sorvetes, mel, cucas alemãs, caldo de cana em pó, sucos, pamonhas, pão de queijo, massas caseiras e orquídeas de Rolândia.


Andando pela Feira de Sabores, a reportagem do JR encontrou a Sófrutos, empresa de Rolândia que produz néctar de laranja e de maracujá; a Flor da Mata, que produz mel, favos, entre outra delícias; Delícias Marabu, que faz composta, geleias, tudo natural; Casa da Cuca, com cucas, bolachas e pães; Duga, com suas conservas e geleias caseiras; e a N & N Orquídeas, com seus belos exemplares da flor.

Onde a Casa da Cuca, convidou o Grupo Rotkappen Rolândia para realizar duas apresentações, para o público prestigiar e ser um atrativo para este pavilhão, mostrando as variedades de produtos e sobre a cultura.

Fonte: Jornal de Rolândia

 


Cerca de 2 mil pessoas assistiram ao Projeto EMCENA BRASIL em Cambé


Um Projeto que mobilizou cerca de 2 mil pessoas, o Projeto EMCENA Brasil, que veio a Cambé por meio do Ministério da Cultura, da Prefeitura de Cambé e FUNCAC- Fundação Cultural e Artística de Cambé atingiu a expectativa de público, organização e conteúdo.

O último final de semana no município que foi animado por conta do Projeto EMCENA BRASIL, que disponibilizou ao cambeense 12 apresentações culturais, também contou com a apresentação do Grupo Folclórico “Rotkappen” no domingo, e também com a boa música da Banda Nova Dantizg na mesma data.

Segundo Marcio Berguio Martin, Presidente da FUNCAC as apresentações contaram com a presença de crianças, jovens e idosos “As apresentações foram como esperávamos, levou entretenimento e conteúdo a quem esteve por lá. Famílias, jovens, adultos, todas gostaram”. Marcio falou ainda sobre programação cultural “Ainda neste ano teremos novos projetos e novas programações para levar cada vez mais conteúdo cultural ao cambeense.” As apresentações que ocorreram na rotatória do Ginásio de Esportes do Jardim Ana Rosa. Fotos: Gisele Cabrera

Fonte: Portal Cambé

 EMCENA BRASIL/MONSANTO em ROLÂNDIA

                  Foi fantástico! Vamos transcrever alguns depoimentos de Rolândia, simbora!!!

" “Se no mundo existisse pessoas assim para alegrar os corações das pessoas, com certeza haveria mais paz, alegria, não haveria espaço para violência, drogas e desunião. Parabéns, que Deus em sua infinita bondade ilumine e abençoe a todos.”
 “Eu achei que o projeto foi um belo espetáculo, meus parabéns. Com beijos.” 

“Se a cultura fosse mais divulgada, poderíamos plantar no coração das nossas crianças a união, amor, esperança, dignidade e vocês estão fazendo a diferença para o nosso mundo. Vocês são o exemplo de amor pela humanidade. Parabéns e que Deus os acompanhe por este Brasil afora. Parabéns.” 

“Parabéns pela criatividade, coragem, alegria que transmitem ao público, que Deus supra cada uma de suas necessidades...e...não desistam nuca de levar a pureza e alegria às crianças. Abraços”


                 Nosso muito obrigada a todos que colaboraram para o sucesso do EMCENA BRASIL em Rolândia. Um agradecimento especial ao Grupo Folclórico Alemão "Rotkappen"!!!

Fonte: Emcena Brasil

 

aApresentação no Norte do Paraná, 1991

6º Supertanztreffen Rolândia

O Grupo Folclórico Alemão Rotkappen está em festa. Completamos 25 anos de dedicação ao folclore alemão através da música e dança.É uma alegria convidá-los para festejar conosco no 6º Supertanztreffen e nos Bailes Comemorativos do Jubileu de Prata do Rotkappen

.Aproveitaremos o feriadão de 01-04 de Maio de 2014 para recebê-los em Rolândia para o nosso tradicional encontro de grupos e desafio folclórico.

Além do desafio folclórico teremos dois bailes típicos animados pela Banda Sonatas de São Bento do Sul-SC.O primeiro, na sexta-feira, exclusivo para os Grupos Folclóricos participantes do 6o Supertanztreffen. E o segundo, no sábado, com participação dos grupos e da comunidade alemã de Rolãndia e região.

Graças aos projetos aprovados pelo Fundo Municipal de Cultura e o apoio da Secretaria de Cultura de Rolandia será possível a realização desse encontro com tantas atrações. Estruturamos a agenda de forma a possibilitar que grupos de locais mais distantes aproveitem o feriado de quatro dias para visitar Rolândia. E de forma flexível para aqueles que não conseguem folga na sexta participarem do desafio folclórico a partir do Sábado.

Fonte: Associação Cultural Gramado




 


Comentários e sugestões: clique aqui